Sobre

A História

“As escolas formam os professores e a vivência os transforma em mestres!

Na área de educação, considerada como fundamental para o presente e o futuro de nosso país, quanto as escolas, públicas ou privadas, investem no desenvolvimento de seus professores? Porque para as demais organizações da sociedade é tão importante a lapidação de seu potencial humano e justamente para os formadores das pessoas que trabalharão para elas não existe a mesma preocupação?

São raras as escolas que investem maciçamente no desenvolvimento de seus professores. Mais raras ainda aquelas que possuem um setor de “educação continuada” para seus profissionais. Assim, um grupo de profissionais de diversas áreas do conhecimento decidiu colaborar com a educação continuada de professores, através da disponibilização na Internet de conteúdo selecionado, materiais didáticos, videoaulas, salas virtuais de diálogos, espaço para dúvidas e programas de desenvolvimento voltados ao aprimoramento contínuo daqueles que formarão a consciência crítica de nossa sociedade.

Junto com pessoas experientes em processos de facilitação, estamos lançando o site www.cuidandodosmestres.com.br, onde teremos a possibilidade de dialogar com professores de todos os níveis do ensino, focando, principalmente, os aspectos mais sutis do desenvolvimento de verdadeiros mestres, responsáveis pela formação de seres humanos completos, preparados para os desafios que encontrarão nos caminhos de suas vidas.

Em resumo uma fonte de educação continuada com auxílio virtual e programas presenciais modulares.

Nossas premissas

  • as demandas básicas da educação estão focadas na urgência de resultados de curto prazo, pois disso depende a evolução da sociedade em todas as suas dimensões;
  • as dificuldades presentes na educação são reflexos, quase que exclusivamente, da pouca ênfase dada ao desenvolvimento continuado dos professores para torná-los mestres também em áreas mais sutis, intrínsecas ao ser humano como gestão da emoção, definição de princípios, compreensão das percepções individuais dos alunos, que dificultam a eliminação dos obstáculos ao pleno  aproveitamento da aprendizagem;
  • os medos e expectativas presentes nos alunos, de forma explícita ou implícita, reforçam uma percepção distorcida da realidade, reforçando inseguranças pessoais, mas abrindo possibilidades de crescimento interior;
  • a crença de que a elevação do patamar de consciência emocional das pessoas é um poderoso elemento de transformação do ambiente de aprendizagem e, portanto, ponto chave na melhoria da qualidade da educação;
  • a transformação do patamar de consciência das pessoas pode ser provocada através de estímulos cognitivos, emocionais e físicos, colocados dentro de um contexto de profunda reflexão individual e coletiva;

Nossos Desafios

  • Como assegurar que todos os professores brasileiros tenham a maestria didática de criar estímulos (“provocações”) capazes de levar seus alunos a reflexões profundas, com a convicção de que a transformação para um novo patamar de consciência é possível porque todos possuímos as competências básicas necessárias para isso?
  • Como assegurar que todos os professores possam provocar transformações emocionais em todos os seus alunos, despertando excepcionais níveis de autoconfiança, capacitando-os a agir em um novo patamar, sem medos de qualquer natureza e incorporando efetivamente o papel de agentes de transformação numa sociedade mais justa?
  • Como assegurar que o novo jeito de olhar e de ser das pessoas produza solução rápida dos principais problemas enfrentados pela sociedade, com consequente ampliação do nível de Felicidade da população brasileira?

Diferencial mestre

Cuidar do aprimoramento contínuo das competências sutis de educadores de todos os níveis, transformando a educação no verdadeiro caminho para a Felicidade.

Um dia todas as pessoas terão a consciência de que também são educadores e destinarão parte de seu tempo para cuidar daqueles que precisam crescer com sabedoria.

Princípio da Ética – Todas nossas ações educadoras devem ser fundamentadas nos pilares do bem-comum, representados pelo respeito ao outro, pela igualdade de direitos e pela compaixão.
Princípio do Profissionalismo – O aprimoramento contínuo nos remete à responsabilidade profissional na busca pela excelência de nossas ações educadoras.
Princípio da Evolução Contínua Colaborativa – Diante da velocidade de criação de novos conhecimentos, o bom profissional precisará participar permanentemente do aprendizado colaborativo.
Princípio da Cultura do Servir – Educar é uma atividade humana das mais nobres e exige uma clara consciência sobre a condição de servidores àqueles que a ela se dedicarem.
Princípio da Confiança – A confiança é o único canal efetivo para um diálogo verdadeiro e produtivo; sem confiança não há transmissão significativa de conhecimento.
Princípio da Diversidade – Apenas a soma de olhares subjetivos de diferentes ângulos permite uma visão mais clara da realidade objetiva.
Princípio da Economia – A Natureza produz suas riquezas com o menor gasto possível de insumos e energia; a humanidade deve sempre levar esse exemplo em tudo que produz no seu dia a dia.
+ Propósito

Cuidar do aprimoramento contínuo das competências sutis de educadores de todos os níveis, transformando a educação no verdadeiro caminho para a Felicidade.

+ Visão

Um dia todas as pessoas terão a consciência de que também são educadores e destinarão parte de seu tempo para cuidar daqueles que precisam crescer com sabedoria.

+ Princípios
Princípio da Ética – Todas nossas ações educadoras devem ser fundamentadas nos pilares do bem-comum, representados pelo respeito ao outro, pela igualdade de direitos e pela compaixão.
Princípio do Profissionalismo – O aprimoramento contínuo nos remete à responsabilidade profissional na busca pela excelência de nossas ações educadoras.
Princípio da Evolução Contínua Colaborativa – Diante da velocidade de criação de novos conhecimentos, o bom profissional precisará participar permanentemente do aprendizado colaborativo.
Princípio da Cultura do Servir – Educar é uma atividade humana das mais nobres e exige uma clara consciência sobre a condição de servidores àqueles que a ela se dedicarem.
Princípio da Confiança – A confiança é o único canal efetivo para um diálogo verdadeiro e produtivo; sem confiança não há transmissão significativa de conhecimento.
Princípio da Diversidade – Apenas a soma de olhares subjetivos de diferentes ângulos permite uma visão mais clara da realidade objetiva.
Princípio da Economia – A Natureza produz suas riquezas com o menor gasto possível de insumos e energia; a humanidade deve sempre levar esse exemplo em tudo que produz no seu dia a dia.

Pesquisa

O que você gostaria de ver neste site?

Receba nossas novidades e mantenha-se atualizado.
  

Nossos Colaboradores