E, se uma outra escola é possível, o que dizer das escolas públicas? E no Brasil…

E como diria Rubem Alves, em seu artigo “A escola com que sempre sonhei sem imaginar que pudesse existir”, falando da Escola da Ponte, sem imaginar também, no entanto, que ela pudesse não somente inspirar, mas trans-formar outras escolas, ainda mais escolas públicas, aqui em sua própria terra brasilis… Será uma outra escola possível?

Bem, não somente é possível, em uma (hoje já com muitas outras mais) escola, que além de pública, ainda conta com muita participação da comunidade do entorno e faz de suas intervenções e visitas, também formas de se educar não somente as crianças e jovens, mas também as mães, pais e comunidades, [email protected] que participem de seu cotidiano, em São Paulo, no bairro do Butantã, há mais de uma década, pelas mãos e cabeças, não só de sua diretora, Ana Elisa Siqueira, da EMEF Desembargador Amorim Lima, como de [email protected] [email protected] pessoas que apoiam e desenvolvem esse grande projeto educativo!

Agradecimentos a toda essa comunidade, que nos inspira e emociona, com suas lutas, conquistas e permanentes desafios na educação (inclusive, de minha filha!)…

Com nossas cordiais saudações, depois, quem quiser saber mais, pesquise em outros videos e documentos, ou nos escrevam, se quiserem!

Celso Sekiguchi

escolas públicas

Deixe um comentário